quarta-feira, 22 de julho de 2009

Curimabatá - o manhoso peixe de boca pequena

Como disse, na foto a cima, o curimba anda em grandes cardumes



Para os pescadores de todo o Brasil, aqui vai a mais nova dica de pesca, é do curimbatá ( Prochilodus spp), um peixe muito manhoso de ser fisgado, por causa da sua boca pequena.

Para a pesca do curimba, como foi apelidado, é necessário anzois pequenos e finos, de número 2 a 8 para facilitar a fisgada, pois é muito manhoso e digamos que ele "mama" na isca antes de dar o bote final.

Para os pescadores que gostam da pesca nos rios, o curimba pode ser encontrado em diversas bacias hidrográficas, taís como Amazônica, Araguaia-Tocantins, São francisco e Prata. O curimba é encontrado no estado de São Paulo em alguns rios, como por exemplo o Tietê, próximo a cidade de Botucatu.

O curimbatá é um peixe de escamas, e como já disse, boca pequena em forma de ventosa. A espécie se caracteriza pelas escamas prateadas e porte não passando de 80 cm nas maiores situações, porém há relatos de exemplares com mais de 5kg, que já proporcionariam grandes corridas e brigas.

O curimabatá é muito importante comercialmente, sendo facilmente encontrado em supermecados com exemplares de grande porte a venda. As comunidades ribeirinhas apreciam o peixe como a limento e fonte de renda.

Na natureza, o curimabatá se alimenta de microorganismos que vivem na lama do fundo, por isso também pode ser chamado de papa-terra.

PESCA EM RIOS

Para quem gosta de se aventurar e pescar nos rios, muitos pescadores usam tralhas simples, indo aos barrancos e usando varinhas de bambu, e como isca massinha de farinha de trigo, nem muito mole, nem muito dura, apenas consistente. A linha deve ser não muito grossa, no máximo 0,40 mm e 50 cm mior que a vara.

No molinete, também não necessitamos de equipamento pesado, apenas de qualidade, com linha 0,30mm no carretel e um chicote com massinha de boa cosisntência no chuverinho de fundo de preferência. Essa técnica é muito usada em represas as quais tem o tão falado peixe.

Não, de maneira alguma tente pegar curimbatá com iscas artificiais, pois são espécies detritívoras, ou seja, não iriam nunca pegar nas iscas artificiais, a não ser que ela tenha enroscado neles.

Lembramos que a espécie anda em cardumes e se começar a pegar um e localizar o cardume, aí na certa você terá o melhor dia de pesca de curimba da sua vida.

PESCA EM PESQUEIROS

Em pesqueiros recomendo até equipamentos mais leves, pois os peixes não tem para onde correr, como por exemplo galhadas, então fica mais divertido brigar e exibir o seu troféu, dizendo que a briga pode ter durado 10 minutos.

Usando chuverinho de fundo, pode-se obter grandes resultados com aquelas massas que vem parecendo farofa e é só acresentar água. Eu, particularmente prefiro misturá-las, como por exemplo a de banana com a carnívora, para assim poder pegar os grandes curimbas.

Nos pesqueiros os curimbas encostam na margem no fim do dia e pode ser pegos com varinhas de mão com a mesma massinha num anzol pequeno, o que aumenta a esportividade.

A questão dos cardumes também acontece em pesqueiros, por mais que pareça estranho. Uma vez, quando era menor, fui a um pesqueiro em Uberaba e começamos a cevar. Depois de 10 minutos, uma mancha preta, com uns 5 metros de comprimento subiu, e varias explosões aconteceram, então foi só montar o sistema de boinha de lambari com massinha de isca e lá estava, depois de 5 minutos a boia baixando e a linha indo embora. neste dia foram fisgados mais de 15 curimbas, todos na boinha.

O que também não muda da natureza é a sensibilidade que devemos ter ao tentar fisgá-lo. Se ester usando bóia, assim que ela abaixar, fisgue, senão esse manhoso sai da linha.

Mas, como em todo o pesqueiro, o comportamento dos peixes muda, e no curimba a variedade de iscas com que pode ser pego aumenta. Muitos pescadores tem obtido resultado com guabi umedecida na pinga, miçanga e até salsicha.

Vale lembrar que se você quiser comer curimba, compre no supermercado, então vamos apoiar o PESQUE E SOLTE.

Bom, espero que tenha ajudado.

É isso aí pescadores. Se quiserem ganhar sensibilidade na mão e "correr o risco " de divertidas estouradas de linha, o curimba é pra vocês.

Abraços e boas fisgadas.

2 comentários:

Anônimo disse...

Aff... Maior matéria que jah vi e nem vou ler...

Adilson disse...

Ontem 04/07/2010 fui ate o rio Mogi em Guatapara e peguei 8 curimbas de porte medio ( 400 ate 800 gms ) com bolinhas de queijo duro na vara de banbu eu queria ter dicas de como pescar com molinetes e quais as iscas que se usa. Valeu boa pesca a todos nos .
Adilson Quintana
Cravinhos SP.